Cromo

Medicina ortomolecular: Íon cromo

A importância do cromo (Cr) no organismo está relacionada ao controle da glicemia e lipídeos. A ingestão dietética diária é de 50 a 200 ug, segundo a ESAD-DI (Estimated safe and adequate daily dieteary intake). A principal função do cromo é potencializar os efeitos da insulina, e através desta alterar o metabolismo da glicose, aminoácidos é lipídeos. Considerando-se os efeitos anabólicos promovido pela a insulina nos tecidos, promovendo a captação de glicose, aminoácidos e a síntese de proteínas, a presença de cromo potencializa esta ações reduzindo os níveis de gordura corpórea e normalização do lípides sangüíneos. A medida que envelhecemos, retemos menos cromo no organismo. O excesso de gorduras e açúcar na dieta aumenta a excreção e consumo de cromo.

Propriedades funcionais – 1. Ajuda o crescimento. Contribui para controlar a pressão sangüínea. age como controlador de diabetes. 2. O cromo desempenha papel relevante na síntese de serotonina, estando diminuído em estados depressivos.

Doenças causadas por carência de Cromo: 1. Diabetes devido redução na produção de insulina. 2. Redução no metabolismo de glicose, aminoácidos e lipídios. 3. Hipercolesterolemia. 4. Inflamação e necrose da pele e vias aéreas superiores. 5. Insuficiência renal. 6. Câncer pulmonar. 7. Choque circulatório.

Doenças causadas pela Toxicidade – O cromo trivalente não é tóxico. A forma hexavalente é tóxica e pode causar lesão renal e hepática.

Terapia : Indicação – Aumenta capacidade aeróbica e anaeróbica, age como suplemento em pacientes com diabetes, anti-aterogênio e protetor do aparelho cardiovascular. apresentação e dosagem: Pode ser encontrado nas melhores preparações multiminerais. Dosagem: 50-200 mcg/dia.

Orientações higieno-dietéticas: Fatores que contribuem para a deficiência: ingestão de carboidratos refinados. Diabete juvenil. Dieta de baixa qualidade protéica, má absorção, alimentos processados.

Plantas hipoglicemiantes e índice de cromo (mcg/mg) – Cajueiro=15; Marapuama=0,7; Carqueja= 4,2; Quina-quina=0,8; Pau de ferro= 2,7; Angico amargo=1,8; Pata de vaca= 2,3 Dosagem : 200 mcg/dia Resolução GMC nº18/94.

Referências:

Clarkson PM – Effects of exercise on chromium levels. Is supplementation required ? Sports. Med 23(6):341-349,1997.

Hasten DL, Rome EP, Franks BD – Effects of chromium picolinate on beginning weight training students. International Journal of Sport Nutrition. 2:343-350,1992.

Anderson RA – Chromium as an essential nutrient for humans. Regul. Toxicol. Pharmacol. 26(1):S35-S41,1997.

Anderson RA – Chromium metabolism and its role in disease process in man. Clin Physiol. Biochem. 4:31-41,1986.

Baruthio F – Toxic effects of chromium ans its compounds. Biol Trace. Elem Res. 32: 145-153, 1992.

Grant KE, Chandler RM, Castle AL – Chromium ans exercise training: effect on obese women. Med Sci Sports Exerc. 29(8): 992-998,1997.