Intoxicação pelo Alumínio

AlumínioNão há evidências que o alumínio tenha qualquer função vital em plantas ou animais. Está presente em quantidades mínimas nos tecidos de animais, sangue e urina. O conteúdo total no organismo humano estima-se que seja de 50 a 150mg. As maiores concentrações encontram-se nos pulmões talvez devido a poluição atmosférica.

Faixas de concentração de alumínio em nutrição humana:
– em vegetais: 5 – 9,5 ppm.
– frutas frescas de bagas e frutas com caroço: 2 – 4 ppm.
– frutas cítricas: menos que 0,1 – 0,2 ppm.
– leite de vaca: 0,4 – 0,8 mg/l.
– carne de músculos e órgãos: 0,2 – 0,6 ppm.

A faixa de ingestão diária de alumínio na dieta de seres humanos está em torno de 10 à 100mg.

Interações:

O excesso de alumínio interfere com a absorção de selênio e potássio.

Dietas pobres em cálcio e ricas em fosfatos favorecem o aumento de alumínio.

Fontes de contaminação

Queijos, panelas, embalagens, tubos de pasta dental, cigarros, creme tártaro, alimentos enlatados, desodorantes, cerveja em lata, leite em caixa, antiácidos com hidróxidos de alumínio.

Doenças causadas pela Toxicidade do alumínio

O excesso de alumínio no organismo provoca constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, cefaléia, esquecimento, distúrbios de aprendizado, hiperatividade, crises convulsivas, incoordenação motora, demência pré-senil, padrão de fala alterados, diminuição das funções hepáticas e renais.

Tem sido encontrado em altas dosagens nos cérebros de doentes que faleceram com síndrome de Alzheimer e doença de Parkinson,

Orientações higieno-dietéticas:

1-remova ou diminua as fontes de exposição ao metal.
2-aumente o aporte de cálcio, magnésio e vitamina. B6.
3-Diminua o aporte de potássio.
4-Reduza o uso de antiácidos.
5-O alumínio não pode ser quelado, mas pode ser substituído.

Tratamento da intoxicação:

  • O uso de fibras vegetais é importante para retirada dos metais do organismo. Nos casos muito graves usa-se a infusão endovenosa com solução de EDTA.
  • Os íons magnésio e cálcio são competidores e auxiliam na diminuição dos níveis do metal, citrato de Magnésio: doses de 800 mg 2x/dia e lactato de Cálcio : doses 800 mg 2x/dia.
  • L-cisteina: os aminoácidos sulfurados são importantes, auxiliares nos processos de desintoxicação. Doses indicadas: 500-1000mg/dia.
  • D, L-metionina: 500-1000mg/dia.
  • Sabe-se que várias fibras vegetais tem propriedades de quelar metais pesados. A pectina é uma fibra encontrada na maçã e que tem bastante afinidade pelo alumínio. Doses indicadas: 1,0-3,0 gr/dia.
  • Adsorventes: bentonita e alginato. Atuam por quelação ligando-se aos metais e retirando-os do organismo pela via intestinal. Doses indicadas: 1,0-2,0gr/dia.
  • Terapia antioxidante: vitamina. C ou ascorbato de cálcio 1-2 g/dia vitamina E ou succinato de tocoferol 400-800UI/dia.
  • Betacaroteno 25.000-50.000ui/dia.

Referência:

Nicholas JB et al – N. Engle. J. Med. 336(2):1557-61,1997