Detox – Substâncias extraídas da uva

 

As substâncias anti-oxidantes, que combatem os radicais livre, chamados de flavonóides, são extraídos da uva na forma de vinho foram divididos em três grupos: flavonóis, flavanóis ou flavan-3-óis, e antocianinas.

  • Flavonóis: na classe dos flavonóis pode-se encontrar a quercetina, o campferol e a miricetina, todos originários da uva.
  • Flavanóis: Pertencem ao grupo dos flavanóis a catequina a epigalocatequina, as procianidinas e os polímeros de taninos. Esses compostos são encontrados em maior quantidade nas sementes e no engaço da uva.

    Antocianinas:
    O grupo das antocianinas foi dividido em seis classes de compostos, responsáveis pelas diferentes pigmentações: vermelho (cianidina), vermelho escuro (peonidina), azul (delfinidina), púrpura (malvidina) e vermelho escuro (petunidina).
  • A quercetina 2-(3,4-dihidroxifenil)-3,5,7-trihidroxi-4II-1-benzopirano-4-ona) é o flavonóide do vinho que apresenta a maior atividade antioxidante. Agindo como antiinflamatório e protetor capilar. É a glucona de diversos biflavanóides, sendo o principal deles a rutina. Encontrada na Urtica dioica, Ribes nigrum e Mimosa temaflora. A quercetina possui atividade na inibição da COMT (catecolamina-O-metil transferase), inibindo a degradação de aminas vasoconstritoras, aumentando o tônus e a resistência capilar. Outro mecanismo é da diminuição de produção de histamina, por inibição as enzimas descarboxilase e fosfolipase. Outro mecanismo de diminuição da liberação da histamina se deve a estabilização das membranas dos mastócitos e basófilos, pela quercetina.

Dosagem: 250 a 500 mg – 2 a e vezes ao dia.

NÃO-FLAVONÓIDES (Ácidos Fenólicos)

QuercetinaNa classe dos ácidos fenólicos estão os derivados dos ácidos hidroxidocinâmicos e hidroxibenzóico. Os ácidos fenólicos encontram-se distribuídos na casca e na polpa da uva.
Os ácidos derivados do ácido benzóico sofrem substituições nas posições meta e para dando origem, por exemplo, ao ácido gálico. Alguns vinhos que sofrem envelhecimento em barril apresentam altos níveis de ácido gálico. Em geral, a atividade antioxidante dos derivados dos ácidos hidroxicinâmicos é maior do que a dos ácidos hidrobenzóicos.

 

 

Referências:

Bianchi MLP e Antunes, LMG. Radicais livres e os principais antioxidantes da dieta. Rev. Nutr., maio/ago. 1999, vol.12,no.2, p.123-130.

Da Luz, PL. e Coimbra, SR. Alcohol and atherosclerosis. An. Acad. Bras. Ciênc., mar. 2001, vol.73, no.1, p.51-55.

Ferreira, A.L.A. e Matsubara, L.S. – Radicais livres: conceitos, doenças relacionadas, sistema de defesa e estresse oxidativo. Rev. Assoc. Med. Bras., jan./mar. 1997, vol.43, no.1, p.61-68.

Mamede, MEOP, Gláucia M. Compostos Fenólicos do Vinho: Estrutura e Ação Antioxidante.B.CEPPA, Curitiba, v.22, n.2, p.233-252,jul./dez.2004.