Perda da massa muscular

Perda muscular (Sarcopenia)

Editorial

A massa muscular humana constitui de 40% a 50% do peso corporal total. As células musculares constituem de 70 a 80% das nossas células e representam, aproximadamente, 50% das nossas proteínas. Por este motivo, uma grande perda muscular é incompatível com a vida.

O pico da força muscular no ser humano é atingido entre os 20 e 30 anos de idade. Após este período tem início uma redução gradual e progressiva, tornando-se clinicamente perceptível a partir dos 60 anos. Indivíduos saudáveis entre 70 e 80 anos tem perda 20% a 40% da sua força física. Essa perda gradativa é conhecida como sarcopenia, que indica a perda da massa, força e qualidade do músculo esquelético e que tem um impacto significante na saúde.

A força muscular é a adaptação funcional que sempre acompanha os níveis de massa muscular, sendo importante no dia-a-dia de todas as pessoas para a realização das mais diversas tarefas.  A perda de força muscular é a principal responsável pela deterioração na mobilidade e na capacidade funcional do indivíduo que está envelhecendo.

A redução gradativa no tamanho e no número das fibras musculares (especialmente tipo II – fibras de contração rápida) com a idade decorre da morte das células musculares e/ou de processo degenerativo causado pela perda de contato com o nervo. As fibras musculares denervadas são subseqüentemente substituídas por tecido gorduroso e fibroso.

A degradação dos sistemas nervoso e muscular decorrente do processo de envelhecimento não é a única causa da sarcopenia. Com o envelhecimento, temos: diminuição do hormônio de crescimento, dos hormônios sexuais (estrogênio e testosterona), fator de crescimento (IGF1); resistência à insulina que provocam e agravam a sarcopenia.

Quando a perda de músculos é proveniente de regimes alimentares, fome, caquexia, doenças catabólicas (hipertireoidísmo, insuficiência cardíaca, bronquites crônicas, etc), estresse, sepses e câncer, configura-se a chamada síndrome sarcopênica, que é diferente da sarcopenia que ocorre no idoso hígido, descrita anteriormente.

A prevenção é a melhor conduta na sarcopenia, ou seja, idosos que praticam exercícios dinâmicos três vezes por semana, ganham e conserva a força muscular, prevenindo quedas, perda do equilíbrio e invalidez.